Ocnews - Sua fonte de notícias na cidade de Osvaldo Cruz

Adaptação, pressão e reação: Jesualdo completa dois meses desde estreia no Santos

Português vê evolução no trabalho ser barrada pela paralisação no futebol

O técnico Jesualdo Ferreira completa dois meses da estreia no Santos nesta segunda-feira. Foram 60 dias que podem ser resumidos em três palavras: adaptação, pressão e reação.

O primeiro mês foi de adaptação. Jesualdo chegou ao Santos para sua primeira experiência no futebol brasileiro após conquistar títulos em três continentes. E recebeu carta branca para conhecer melhor o elenco antes de realizar mudanças no time titular ou pedir contratações.

Neste período, entre vitórias e empates, as críticas sobre o desempenho e a postura do time em campo aumentaram a cada partida. O padrão de jogo frenético e ofensivo visto desde o início de 2019 deu lugar a um estilo mais cauteloso e equilibrado.

Um dado que comprova a mudança radical na proposta de jogo é o número de finalizações. Em 2019, o Peixe terminou o Campeonato Brasileiro como um dos times que mais concluía e fazia gols, com média de 14,9 chutes por partida. Em 2020, com Jesualdo, esse número caiu para 11 tentativas por jogo. Foram 13 gols marcados em 12 partidas.

O estopim das críticas ao treinador português foi a derrota para o Ituano, por 2 a 0, fora de casa, pelo Campeonato Paulista. Naquela semana, Jesualdo sofreu pressão interna do clube e da torcida e chegou a balançar no cargo.

Mas, com uma semana de treinos após a derrota, o Santos reagiu. O divisor de águas foi o empate por 0 a 0 contra o Palmeiras no Pacaembu. A partir daquela partida, o Peixe mudou a postura dentro de campo, mostrou um futebol mais semelhante ao que a torcida estava acostumada e começou uma série invicta. Depois do clássico, foram três vitórias seguidas.

A reação do Santos começou, de fato, na partida contra o Defensa y Justicia, na estreia da Libertadores. Mais adaptado ao estilo de jogo de Jesualdo, o time virou a partida e garantiu a vitória na Argentina. Depois, venceu o Mirassol, pelo Paulistão, e o Delfín, do Equador, novamente pela Libertadores.

O momento amargo ficou na última partida antes da paralisação das competições por causa da pandemia de Covid-19, o novo coronavírus, quando o Santos sofreu a virada do São Paulo, no Morumbi.

Com quase 60% de aproveitamento no Santos, Jesualdo ainda oscila e tenta conciliar o uso da base com a maratona de jogos que o Peixe disputará ao longo do ano.

Entre momentos altos e baixos, o Peixe tem 100% de aproveitamento na Libertadores e é líder do Grupo G. Já no Campeonato Paulista, ainda luta pela classificação, mas também lidera sua chave.

Os números do Santos em 2020:

  • 12 jogos
  • 6 vitórias
  • 3 empates
  • 3 derrotas
  • 13 gols marcados
  • 9 gols sofridos

Fonte

Globoesporte.com
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Veja também

Por coronavírus, reunião que analisaria impeachment de Peres no Santos continua sem data
24Mar

Por coronavírus, reunião que analisaria impeachment de Peres no Santos continua sem data

Conselho Deliberativo do Peixe segue normas de saúde para evitar propagação da Covid-19

Direção do Corinthians quer dar
24Mar

Direção do Corinthians quer dar "chacoalhão" em jogadores e vê 2014 como exemplo

Apesar de críticas a Tiago Nunes, técnico não é visto como maior culpado por fase ruim

Real Madrid está de olho em Igor Gomes, do São Paulo: o
24Mar

Real Madrid está de olho em Igor Gomes, do São Paulo: o "novo Kaká", diz jornal espanhol

"AS" publica sobre monitoramento do clube ao meia de 21 anos do Tricolor

Fernando Diniz lamenta pausa durante evolução do São Paulo:
24Mar

Fernando Diniz lamenta pausa durante evolução do São Paulo: "Momento claro de ascensão"

Técnico destaca o jogo contra o Novorizontino como emblemático no crescimento tricolor

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )