Ocnews - Sua fonte de notícias na cidade de Osvaldo Cruz

Carreata ForaDória percorre ruas de Adamantina contra medidas que oneram servidores públicos

Segundo os organizadores, cerca de 150 veículos participaram do movimento.

OUVIR NOTÍCIA

Uma carreata "A força que vem do interior - #ForaDoria", realizada na tarde nesta sexta-feira (20) em Adamantina, organizada pelas regionais do CPP (Centro do Professorado Paulista) de Adamantina, Dracena e Panorama, e ainda pela sede regional da Apampesp (Associação de Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo), levou cerca de 150 veículos às principais ruas da cidade.

(Divulgação/CPP). 

(Divulgação/CPP). 

A estimativa quanto à participação foi publicada na fanpage do CPP de Adamantina. O protesto também contou com a presença dos integrantes da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), de Osvaldo Cruz.

A manifestação foi em protesto aos descontos previdenciários do Decreto 65. 021/20, assinado por Dória, que aumenta a cobrança de contribuição previdenciária junto aos servidores estaduais, para quem recebe mais de um salário mínimo, alegando a ocorrência de déficit atuarial no Regime Próprio de Previdência do Estado. O ato também se posicionou contra o aumento na contribuição do Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo).

(Divulgação/CPP). 

(Divulgação/CPP). 

Os participantes se concentraram na Rua Rui Barbosa, proximidades ao cruzamento com a Avenida Rio Branco, de onde partiram por volta das 16h em carreata pelas principais ruas de Adamantina, com buzinaço, bandeirolas e gritos de ‘Fora Dória”. 

Saiba mais

Segundo o CPP, a mobilização buscou sensibilizar as autoridades estaduais para tentar barrar a cobrança definida no decreto. “Sem aumento salarial há 6 anos, fomos presentados com um reajuste exacerbado da alíquota previdenciária, mesmo tendo contribuído uma vida inteira. Além disso, houve aumento na contribuição do Iamspe, com o PL 529, e limitação de valores dos precatórios”, destaca o CPP em seu site oficial. “Diante dos fatos atuais, a categoria do magistério paulista sentiu a necessidade demonstrar total desagrado quanto às decisões arbitrárias de quem deveria vislumbrar um futuro melhor aos que já contribuíram com tanta grandeza a São Paulo, por meio da educação ou de qualquer outra nobre área de atuação do funcionalismo público”.

(Divulgação/CPP). 

A Apampeasp também se manifestou sobre o tema, em seu site oficial. “Em um momento tão delicado quanto o de uma pandemia, é inaceitável que o Governador jogue nas costas dos aposentados a responsabilidade das contas da Previdência do Estado. Vale destacar que o grupo mais afetado pela quarentena e mais necessitado de ter os recursos preservados são os idosos. Os professores aposentados, após décadas de vida em salas de aula e de todos os anos de contribuição, mais uma vez são atacados e penalizados”, ressalta a instituição. “A Apampesp reafirma a sua luta histórica em defesa do professor aposentado e informa que o departamento jurídico da entidade está elaborando medida judicial com o objetivo de impedir o desconto da Contribuição Previdenciária (SPPREV) nos proventos dos aposentados e pensionistas que recebem abaixo do teto do INSS, previstos no Decreto 65.021/2020 do governador Dória”, completa.

Fonte

Siga Mais
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Carreata ForaDória percorre ruas de Adamantina contra medidas que oneram servidores públicos

Siga Mais

Uma carreata "A força que vem do interior - #ForaDoria", realizada na tarde nesta sexta-feira (20) em Adamantina, organizada pelas regionais do CPP (Centro do Professorado Paulista) de Adamantina, Dracena e Panorama, e ainda pela sede regional da Apampesp (Associação de Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo), levou cerca de 150 veículos às principais ruas da cidade.

(Divulgação/CPP). 

(Divulgação/CPP). 

A estimativa quanto à participação foi publicada na fanpage do CPP de Adamantina. O protesto também contou com a presença dos integrantes da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), de Osvaldo Cruz.

A manifestação foi em protesto aos descontos previdenciários do Decreto 65. 021/20, assinado por Dória, que aumenta a cobrança de contribuição previdenciária junto aos servidores estaduais, para quem recebe mais de um salário mínimo, alegando a ocorrência de déficit atuarial no Regime Próprio de Previdência do Estado. O ato também se posicionou contra o aumento na contribuição do Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo).

(Divulgação/CPP). 

(Divulgação/CPP). 

Os participantes se concentraram na Rua Rui Barbosa, proximidades ao cruzamento com a Avenida Rio Branco, de onde partiram por volta das 16h em carreata pelas principais ruas de Adamantina, com buzinaço, bandeirolas e gritos de ‘Fora Dória”. 

Saiba mais

Segundo o CPP, a mobilização buscou sensibilizar as autoridades estaduais para tentar barrar a cobrança definida no decreto. “Sem aumento salarial há 6 anos, fomos presentados com um reajuste exacerbado da alíquota previdenciária, mesmo tendo contribuído uma vida inteira. Além disso, houve aumento na contribuição do Iamspe, com o PL 529, e limitação de valores dos precatórios”, destaca o CPP em seu site oficial. “Diante dos fatos atuais, a categoria do magistério paulista sentiu a necessidade demonstrar total desagrado quanto às decisões arbitrárias de quem deveria vislumbrar um futuro melhor aos que já contribuíram com tanta grandeza a São Paulo, por meio da educação ou de qualquer outra nobre área de atuação do funcionalismo público”.

(Divulgação/CPP). 

A Apampeasp também se manifestou sobre o tema, em seu site oficial. “Em um momento tão delicado quanto o de uma pandemia, é inaceitável que o Governador jogue nas costas dos aposentados a responsabilidade das contas da Previdência do Estado. Vale destacar que o grupo mais afetado pela quarentena e mais necessitado de ter os recursos preservados são os idosos. Os professores aposentados, após décadas de vida em salas de aula e de todos os anos de contribuição, mais uma vez são atacados e penalizados”, ressalta a instituição. “A Apampesp reafirma a sua luta histórica em defesa do professor aposentado e informa que o departamento jurídico da entidade está elaborando medida judicial com o objetivo de impedir o desconto da Contribuição Previdenciária (SPPREV) nos proventos dos aposentados e pensionistas que recebem abaixo do teto do INSS, previstos no Decreto 65.021/2020 do governador Dória”, completa.

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )