Ocnews - Sua fonte de notícias na cidade de Osvaldo Cruz

Senadores defendem adiamento das eleições municipais para 2022

Líder do PSL no Senado Major Olímpio propõe destinar recursos do fundo partidário e da Justiça Eleitoral à área de saúde.

OUVIR NOTÍCIA

Por causa da crise provocada pela pandemia de coronavírus, diversos senadores defendem o adiamento das eleições municipais de 2020 para 2022. Elmano Férrer (Podemos-PI) e Major Olimpio (PSL-SP) sugerem que o pleito municipal seja unificado com as eleições gerais.

O principal motivo, segundo Olímpio, é para evitar o gasto com eleições nesse momento de pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a ideia de Major Olímpio, os mandatos atuais de prefeitos e vereadores seriam prorrogados até 2022, sem a possibilidade de reeleição para os prefeitos que já estão no segundo mandato consecutivo. A estimativa é que se economize R$ 1,5 bilhão com a unificação dos pleitos.

Para que possa apresentar a PEC, Major Olímpio tem que colher assinaturas de mais 26 parlamentares.

Duas propostas de emenda à Constituição (PECs) que unificam as datas das eleições brasileiras (PEC 143/2019 e PEC 123/2019) já estão em discussão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas a mudança prevista nessas propostas ocorreria apenas em 2026.

 

Fonte

Agência Senado
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Senadores defendem adiamento das eleições municipais para 2022

Agência Senado

Por causa da crise provocada pela pandemia de coronavírus, diversos senadores defendem o adiamento das eleições municipais de 2020 para 2022. Elmano Férrer (Podemos-PI) e Major Olimpio (PSL-SP) sugerem que o pleito municipal seja unificado com as eleições gerais.

O principal motivo, segundo Olímpio, é para evitar o gasto com eleições nesse momento de pandemia do novo coronavírus.

De acordo com a ideia de Major Olímpio, os mandatos atuais de prefeitos e vereadores seriam prorrogados até 2022, sem a possibilidade de reeleição para os prefeitos que já estão no segundo mandato consecutivo. A estimativa é que se economize R$ 1,5 bilhão com a unificação dos pleitos.

Para que possa apresentar a PEC, Major Olímpio tem que colher assinaturas de mais 26 parlamentares.

Duas propostas de emenda à Constituição (PECs) que unificam as datas das eleições brasileiras (PEC 143/2019 e PEC 123/2019) já estão em discussão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas a mudança prevista nessas propostas ocorreria apenas em 2026.

 

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )